Inteligência Artificial e saúde ocular andam de mãos dadas?

A Inteligência Artificial já é uma realidade e vai ajudar a revolucionar a saúde ocular, no diagnóstico de doenças e produção de lentes.

Fique a saber mais.

Inteligência Artificial e saúde ocular andam de mãos dadas?

Inteligência Artificial (IA) já não é um nome que nos passe despercebido. Muitos de nós já ouviram falar subtilmente, outros mais a fundo, mas a verdade é que, de maneira geral, tornou-se incontestável as inúmeras vantagens que pode trazer a médio/longo prazo, seja no setor da tecnologia, da educação,  saúde, etc.

Hoje foco a minha atenção na saúde ocular. Mas afinal, o que é a IA e qual a razão do seu impacto?

Este termo (IA) foi cunhado nos anos 50 e até há cerca de duas décadas, estava somente associado à ciência computacional. Simplificando, trata-se de um processo tecnológico, trabalhado com o propósito de introduzir tarefas que sejam maioritariamente executadas por um computador, com reduzida participação de humanos.

Começando por esse processo, a IA tem como objetivo facultar aos seus profissionais, novas e automatizadas ferramentas para tornar o diagnóstico e tratamento de problemas visuais mais eficientes. Estas tecnologias, através do seu processo de entendimento de linguagem natural (deep learning e machine learning) trazem consigo novas descobertas e insights muito interessantes sobre a nossa saúde visual.

Aplicações da IA na saúde ocular

 

1 - Prevenção de algumas doenças oculares 

  • Retinopatia diabética - É uma das maiores causas de cegueira no mundo. Em 2016, investigadores da Google procuraram aplicar a sua tecnologia para melhorar o desempenho e a aplicabilidade do modelo em ambientes clínicos. Através do deep learning, foi possível ajudar os médicos a identificar pacientes necessitados, especialmente, em populações mais carentes.
  • Degeneração da mácula - Vários estudos mostram a descoberta de degeneração da mácula em diferentes estágios, através da utilização de deep learning.
  • Glaucoma - O desenvolvimento e aplicação de IA em glaucoma ainda não atingiu o progresso verificado em doenças da retina, mas já há resultados que mostram avanços, por exemplo, no diagnóstico e avaliação de glaucoma enquanto se classifica, em simultâneo, o estágio da retinopatia diabética.

 

2 - Produção de lentes oftálmicas inteligentes

Como já referi, a inteligência artificial propõem-se a elaborar máquinas que simulem a capacidade humana de raciocinar, perceber e resolver problemas.

No que diz respeito à saúde ocular, a Shamir elaborou uma extensa pesquisa no sentido de descobrir qual a relação existente entre as necessidades visuais e a idade visual das pessoas, de maneira a maximizar a personalização influenciar a qualidade da lente produzida.

Personalização essa, que contém tecnologias produzidas para perceber exatamente qual a área da lente pela qual o utilizador olha, vertical e horizontalmente, sempre que executa tarefas que requerem diferentes esforços e campos visuais. No mesmo sentido, integra múltiplos genes de design de lentes oftálmicas baseados em doze protótipos diferentes, um para cada idade visual, introduzindo assim um processo de mudança contínuo e gradual, estando adaptado a doze protótipos diferentes, que refletem significam doze idades visuais diferentes.

Inteligência artificial: o que esperar?

É sempre difícil saber o que esperar quando se fala em ciência, inovação e tecnologia. Nos dias que correm, a IA está ser aplicada na saúde ocular ao nível do diagnóstico acelerado de determinadas doenças como a retinopatia diabética, glaucoma e degeneração da mácula. No entanto, com o desenvolvimento tecnológico que temos assistido, podemos esperar uma evolução no sentido de uma maior otimização de processos ligados ao serviço de cliente, mais soluções e ainda mais descobertas que reduzam a incerteza diagnóstica e aumentem a precisão terapêutica. Desta forma, a importância da correta utilização, que responda no imediato aos diferentes comportamentos visuais do dia a dia, refletem o verdadeiro significado de lentes inteligentes.

Fruto da pesquisa de um dos maiores e mais avançados departamentos de investigação & desenvolvimento do mundo, percebemos que a dificuldade em ver ao longe, visão intermédia, o uso constante de ecrãs digitais e a dificuldade de ver ao perto, são causas que estão diretamente relacionadas com a idade visual. Critério fundamental para o desenvolvimento das lentes Shamir Autograph Intelligence™, que já estão disponíveis em centenas de ópticas, espalhadas por todo o país.

 
Eva Martins
 
Assistente Virtual